Sempre morei em casa. Quintal grande, árvores...E foi assim, que numa manhã de domingo, encontrei um anuncio da venda de lotes aqui na minha região. Eu já tinha olhado vários, mas nenhum me agradou. O corretor se prontificou a me levar no local e então fui, sem acreditar muito. Chegando, desci do carro, senti o vento daquele lugar e o encanto tomou conta de mim.Naquele momento eu soube que era ali que passaríamos o resto de nossas vidas...

domingo, 10 de agosto de 2008

Nunca desista dos seus sonhos...

Croqui da fachada desenhada pelo arquiteto: Guilherme Moscatelli



" A capacidade de sonhar sempre foi o grande segredo daqueles que mudaram o mundo. Os sonhos alimentam a alma e dão asas a inteligência. É no solo fértil da memória onde semeamos os sonhos que farão grande diferença em nossa existência.” ( Augusto Cury)

Acabei de ler este livro e fiquei contagiada. Falou muito ao meu coração, principalmente agora , nesta nova fase da minha vida.
Esta semana foi um pouco difícil para mim. Na realidade foi a primeira semana de chateação com as coisas da obra. Nada com os pedreiros ou algo que deu errado e sim a vontade de fazer tantas coisas e não poder! Por isso fiquei mal. De um lado sonhando muito e de outro sem condições financeiras para tanto! Affff!!!!
Semana que vem é decisiva na obra, pelo menos para nós. Depois de batida a laje, Sr. João me passará um orçamento dos seguintes acabamentos: Reboco,acabamento de cozinha e banheiro, piso, colocação de janelas e portas. Bom, com isso em mãos , teremos uma base do dinheiro que precisaremos para tocar a obra.Não quero nem pensar muito...Sei que Deus pode infinitamente mais!
Uma coisa me causou sofrimento: O telhado. Além do valor abusivo da mão de obra, descobri que o meu tão sonhado telhado aparente não será como idealizei durante quase uma vida! A Nice me explicou que a casa está na divisa e terei grande problemas futuros se eu insistir em apoiar o telhado na mesma. E não é só isso. A caixa d´água teria que ser deslocada ou elevar bastante o telhado do restante da casa. Resultado: Gastos e mais gastos!
Sabe o que é? Sonhei demais com esse telhado...Era de outro jeito...Queria peça roliça, bem rústico. Ficava imaginando o teto da sala onde um dia idealizei este telhado. Eu já via as madeiras lá no alto , a decoração. Na realidade o que mais sonhei foi este espaço. Esse seria separado dos outros. Era um telhado especial. Mas eu e Joel chegamos a conclusão que não iremos sofrer mais por isso. Aliás, só eu estava sofrendo. O Joel na realidade compartilhava comigo o sonho, mas aceitou muito mais fácil as mudanças. Sabe, o desenho que o Guilherme fez do telhado ficou ótimo. Lindo mesmo, vocês não acham? Pra que sofrer?
Novos sonhos: Vou deixar pra lá essa casa( sei que ficará lindinha), e começarei a pensar no meu outro sonho: O jardim. Ah, esse não vou aceitar mudanças. Aliás, não vou nem ficar contando...É melhor! Boca fechada não entra mosquito, né?
Nesta semana foram feitas as vigas na parte de cima e chão grosso .A laje atrasou um pouco...

*

Cauê muda a fórmula do cimento e prejudica consumidores

*

Absurdo! Sr. João me chamou na sexta-feira e me mostrou a viga feita dois dias antes: Retirou as tábuas e o concreto ainda não havia secado. O cimento Cauê Mais( CPIII 40 RS), deveria ter uma secagem superior, como prometido na embalagem, mas veio mais claro que o de costume e prejudicado do seu desempenho.
Chegamos a pensar que havia alguma coisa errada, como por exemplo com o empacotamento do produto em embalagens trocadas. Recolhi duas amostras comparativas e fui ao depósito onde faço as compras para a obra. Tive uma surpresa! Ao chegar, fui informada que a Cauê havia informado dias antes que o cimento viria mais claro, mas que isso não alteraria nada no produto. Não aceitei. A Caroline, que sempre me atende gentilmente, ligou imediatamente para a fábrica e relatou os problemas. Então, para minha surpresa, a atendente nos informou que a Cauê não irá mais fabricar o cimento branco e por este motivo, está misturando ao produto que adquiri algumas sobras( não me lembro o que) do que era usado para fabricar o mesmo alterando apenas a coloração. Informou ainda que o cimento Cauê Mais permanecerá assim por dois meses.
Bom, é claro que isso não ia prestar! Por causa disso, os pedreiros nem foram trabalhar no outro dia, pois nada mais podia ser feito até a secagem das vigas. Uma pergunta? Quem paga estes prejuízos? Paguei mais caro por este cimento e não aceitarei tão fácil assim essas desculpas. Pedimos a presença de um técnico da Cauê na obra e também passei um e-mail para a empresa manifestando meus pontos de vista. Não estou a fim de deixar isto muito barato. Me pegaram numa fase ruim! Eles que me aguardem!
Depois conto o resultado de minhas reclamações.

♥ ♥ ♥

Bem, mais uma vez quero fazer uma homenagem a alguém muito importante na minha vida: Meu Pai. Hoje, dia dos pais, gostaria de abraçá-lo. Mas como não posso, deixo um texto de um poeta português chamado José Luiz Peixoto. São trechos de um livro onde ele fala da falta que sente de seu pai. Espero que gostem...

***

Morreste-me

Muito longe do luto do meu sentir, do meu ser, ser mesmo, o sol-pôr a estender-se na aurora breve solene da nossa casa fechada, pai. E pensei não poderiam os homens morrer como morrem os dias? Assim, como pássaros a cantar sem sobressaltos e a claridade líquida vítrea em tudo e o fresco suave fresco, a brisa leve a tremer as folhas pequenas das árvores, o mundo inerte ou a mover-se calmo e o silêncio a crescer natural natural, o silêncio esperado,finalmente, justo, finalmente digno.Pai. A tarde dissolve-se sobre a terra, sobre a nossa casa. O céu desfia um sopro quieto nos rostos. Acende-se a lua. Translúcida, adormece um sono cálido nos olhares. Anoitece devagar. Dizia nunca esquecerei, e lembro-me. Anoitecia devagar e, a esta hora, nesta altura do ano, desenrolavas a mangueira com todos os preceitos e, seguindo regras certas, regavas as árvores e as flores do quintal; e tudo isso me ensinavas, tudo isso me explicavas(...) Deixaste-te ficar em tudo. Sobrepostos na mágoa indiferente deste mundo que finge continuar, os teus movimentos, o eclipse dos teus gestos. E tudo isto é agora pouco para te conter. Agora, és o rio e as margens e a nascente; és o dia, e a tarde dentro do dia, e o sol dentro da tarde; és o mundo todo por seres a sua pele. Pai. Nunca envelheceste, e eu queria ver-te velho, velhinho aqui no nosso quintal, a regar as árvores, a regar as flores. Sinto tanta falta das tuas palavras.(...)
Descansa, pai, dorme pequenino, que levo o teu nome e as tuas certezas e os teus sonhos no espaço dos meus. Descansa, não vou deixar que te aconteça mal. Não se aflija pai. Sou forte nesta terra nos meus pés. Sou capaz e vou trabalhar e vou trazer de novo aqui o mundo que foi nosso. Vou mesmo, pai. O mundo solar. Reconhecê-lo-ei, porque não o esqueci. E também o tempo será de novo, e também a vida. Sem ti e sempre contigo. A tua voz a dizer orienta-te (...).Não se apoquente, pai. Eu oriento-me. Pai, não se preocupe comigo. Eu oriento-me. E vou. Anoitece a estrada no que sobra da manhã. Chove , sol ,luz ,onde está o que os meus olhos vêem.(...) Onde estás pai, que me deixaste só a gritar onde estás? Na angústia, preciso de te ouvir, preciso que me estendas a mão. E nunca mais nunca mais. Pai. Dorme, pequenino, que foste tanto. E espeta-se-me no peito nunca mais te poder ouvir, ver, tocar. Pai, onde estiveres, dorme agora. Menino. Eras um pouco muito de mim. Descansa, pai. Ficou o teu sorriso no que não esqueço, ficaste todo em mim. Pai. Nunca esquecerei.

2 comentários:

NIce 10 de agosto de 2008 21:10  

Minha querida quanto ao telhado... os sonhos mudam...as vezes as mudanças são necessárias... mesmo que não a entendamos no monento. Ainda vamos no divertir muito nesta sala se Deus quiser... com carinho, NICE.

NICE. 10 de agosto de 2008 21:41  

ETTy, quanto a saudade do seu pai... quando meu avô morreu... o qual era uma pessoa que eu amava muito ...com o passar do tempo a saudade foi aumentando... até o dia que tive uma ídeia. Escrevi uma carta prá ele contando tudo o que eu sentia... quando e como eu sentia sua falta nos momentos mais simples do cotidiano...de um simples olhar...ao modo como ele apertava minha mãozinha... dos passos dele de madrugada quando ele ia tirar o leite no retiro... das histórias dos tempos passados...da bacia com brasas no chão nas noites de inverno, ele era um homem severo...marcado pela rudeza do tempo e o trabalho de sol a sol, mas mesmo assim tinha um olhar afetuoso, é em meu tempo de criança... tinha a certeza que tudo ia dar certo. Hoje só resta o sobretudo pendurado ... e a certeza que ele não vai entrar mais por aquela porta...mas ele me respondeu em sonho ... Talvez o seu pai poça te responder em sonho também... ou através de uma mensagem em uma frase no meio de uma conversa banal....quem sabe um trecho de um livro aberto ao acaso? Beijos estou rezando por você é sua obra, você não está sozinha, você está no meu coração. NICE.

Tecnologia do Blogger.

  © Blogger template 'Personal Blog' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP